28 setembro 2011

Mas havemos de chegar lá!

To keep in mind


Hoje chego a casa, vinda do trabalho e com pouco mais de uma hora para cá estar, e nenhum dos gatos vem receber-me à porta. Coisa estranha. Começo à procura, à procura, a chamar um, a chamar outro, e nada. Às tantas penso que podem ter ficado fechados algures, e lá vou eu, escada acima, escada abaixo, a abrir portas e armários e a espreitar em tudo quanto é sítio. Nada. Desço, intrigada, e aparece o Nagui, vindo não sei de onde. mas sem Yuki. Começo a ficar preocupada, chamo, chamo, chamo, envio uma mensagem à Sofia a perguntar se a viu antes de sair, ela não responde, eu volto a dar voltas à casa, começo a chamar mais alto e mais impacientemente, e nada. Às tantas ligo à mana e ponho-me a chorar, convencida de que a Yuki se esgueirou lá para fora, e de que se o fez terá sido há muito tempo, e o que é que eu faço agora. A mana tenta acalmar-me, diz-me para procurar em mais uns quantos sítios, nada nada nada. Desço as escadas, com as bochechas inundadas e já preparada para sair e começar a chamá-la na rua... E lá está ela. Impávida e serena, ainda por cima. Espreguiça-se, come, e volta à sua vida normal.

Apeteceu-me estrangulá-la. de beijinhos.